Após quase quatro meses de trabalho, chegou ao fim o curso Processos Formativos do Centro Regional de Referência para formação em políticas sobre drogas (CRR), em Governador Valadares ação integrante do programa “Crack, é possível vencer”, realizado pela Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde do município do Vale do Rio Doce. 

Desde março deste ano, 160 trabalhadores que atuam nas redes de saúde, educação, assistência, defesa social e judiciário, entre outros, envolvidos na abordagem de pessoas e familiares que sofrem consequências decorrentes ou associadas ao uso abusivo de álcool e outras drogas, foram qualificados para um atendimento de qualidade pautado nos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS), no cuidado em Saúde Mental, na reinserção social e na Redução dos Danos decorrentes do uso abusivo de drogas.

O programa, com carga horária total de 80h, foi ministrado por docentes do próprio município e região, além dos docentes da ESP-MG, Ana Regina Machado e Rodrigo Chaves, com reconhecida experiência na área de atenção aos usuários de álcool e outras drogas.

Daniene Santos, referência técnica da ESP-MG em saúde mental e coordenadora do CRR/ESP-MG, acredita que a ação contribuiu para o fortalecimento das práticas de atenção no campo do cuidado e reinserção, nos princípios do SUS, procurando sustentar os direitos ao acesso, tratamento e reinserção daqueles que se encontram em uso prejudicial de drogas, frequentemente marginalizados, vítimas de preconceitos e carregados de estigmas, contribuindo sobretudo para o fortalecimento da rede. “Durante a avaliação, o que foi mais destacado pelos alunos foi a possibilidade de conhecer os demais pontos das diferentes redes que oferecem cuidados às pessoas em uso prejudicial de drogas, conhecerem os profissionais, trabalhar juntos na construção dos casos e pensando em ações conjuntas para este tipo de cuidado”, avaliou.

Daniene Santos, coordenadora da ação educacional 

Cuidado

A aluna do curso e gerente do Departamento de Defesa Social de Governador Valadares, Márcia Mendes dos Santos, acredita na contribuição significativa do curso para a continuidade do trabalho de integração da rede intersetorial do município. “Tivemos a oportunidade de reunir em um mesmo local várias secretarias e instituições, com momentos de reflexões acerca dos serviços, dos atendimentos e principalmente do usuário em sofrimento. Os técnicos puderam avaliar e repensar o seu fazer, com um olhar mais atento naquele que procura o serviço, percebendo a importância de construir em conjunto com o usuário e a rede um projeto terapêutico mais abrangente e com novas possibilidades”, concluiu.

O docente Robson Campos ressaltou a importância de organizar os dispositivos de atendimento disponíveis ao usuário. “Embora o município tenha, gradativamente, instalado diversos dispositivos públicos de atenção psicossocial, ainda pode-se notar uma necessidade deles conectarem entre si, bem como com outras instituições com as quais fazem interface e que, muitas vezes, prestam assistência aos mesmos usuários, mas que não conseguem se alcançar”.

A ação educacional contou com financiamento da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD), do Ministério da Justiça.