Dando início às comemorações dos 71 anos da Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG), teve início nesta quinta-feira (22), o Seminário Regional de Formação em Saúde Pública, fruto de uma parceria entre a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP-Fiocruz), e representantes da Região Sudeste no grupo de condução da Rede Brasileira de Escolas de Saúde Pública (Redescola).

A atividade teve como objetivo discutir os desafios da formação dos trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS) e o papel das Escolas de Saúde Pública e dos Centros Formadores junto a gestores, trabalhadores, usuários e instituições de ensino.

O novo diretor-geral da ESP-MG, Edvalth Rodrigues Pereira recebeu os participantes e destacou a importância da Escola sediar o seminário, reforçando a importância da discussão sobre a qualificação dos trabalhadores do SUS. “Desejo que todos aqui presentes superem as expectativas da atividade e saíam melhores ainda, com mais conhecimento, mais disposição e mais força e persistência para transformar a educação no campo da saúde pública”, ressaltou.

Confira aqui as fotos do primeiro dia do Seminário. 

Democracia e SUS

Tatiana Wargas, da ENSP/Fiocruz, relembrou o processo de construção do seminário regional, que nasceu da ideia de mobilizar as instituições para uma discussão conjunta e democrática. “Não pensamos em seminário teórico, mas como um momento de prática entre os que atuam diariamente no SUS, já que as Escolas têm um papel fundamental na construção da saúde, aqui nossa discussão é conjunta e democrática”, afirmou.

PalhaSUS Horizontino disparando as discussões 

Nesse contexto, a coordenadora da Secretaria Executiva da Redescola, Rosa Souza, destacou em sua fala os 71 anos de história da ESP-MG, marcado pelo forte comprometimento de seus trabalhadores e pela parceria sinérgica com a ENSP em momentos especiais, como na Acreditação do Curso de Especialização em Saúde Pública.

A Diretora da Escola Técnica e Formação Profissional de Saúde Profª Ângela Maria Campos da Silva (ETSUS Vitória), Sheila Cristina de Souza, destacou a importância da construção de um debate coletivo. “Estamos discutindo essa relação entre educação e saúde e isso é uma luta, estamos em um momento que precisamos unir forças para fazer o SUS não morrer. Precisamos gerar conhecimento e informação em um país com tanta desigualdade. Esse é o nosso objetivo” enfatizou.

Mostra Saúde É Meu Lugar!

Juntamente com o Seminário Regional sobre a Formação em Saúde Pública, teve início a 1ª edição da Mostra Saúde É Meu Lugar, atividade que reúne e divulga experiências dos profissionais da saúde com atuação nos territórios de todo o país, principalmente daqueles que estão todos os dias nas ruas e nas casas das pessoas.

De acordo com Coordenador da mostra, Caco Xavier, o intuito do projeto é coletar, reunir e circular as histórias das vivências de saúde nos territórios. Alguns dos profissionais que enviaram suas histórias foram homenageados durante o seminário, entre eles, Fábio Souza, Agente de Combate à Endemias do Ceará, que encontrou um meio diferente de chamar a atenção da comunidade para o enfrentamento ao Aedes aegypti, virando o PalhaSUS Horizontino.

Tatiana Wargas (ENSP/Fiocruz) e Edvalth Rodrigues Pereira, diretor-geral da ESP-MG

A abertura dessas atividades contou com a presença dos alunos da especialização em Saúde Pública da ESP-MG, de representantes das 28 Regionais de Saúde de Minas Gerais, de trabalhadores das Escolas de Saúde e dos Centros Formadores do Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo e de docentes das Universidades Federais de Minas Gerais, que participaram do descerramento da placa comemorativa dos 71 anos da ESP-MG (1946|2017) e da apresentação da foto oficial da ex-diretora da Escola, professora Roseni Sena (falecida em 2016) para a Galeria de Ex-diretores da instituição. As atividades do Seminário, da Mostra e das comemorações dos 71 anos da ESP-G seguem durante toda essa sexta-feira (23).

Rosa Souza (Redescola) e Edvalth Rodrigues Pereira, diretor-geral da ESP-MG

Fotos: Frank Sabino e Jonathan Guimarães (ASCOM/ESP-MG)

Por Débora Souza (Estagiária de Jornalismo ASCOM-ESPMG)